câncer de pele

Conheça os principais tipos de câncer de pele

O câncer da pele é um dos tipos de neoplasias mais frequentes no Brasil. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos da doença entre a população. A enfermidade é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. De acordo com o tipo de células afetadas é que são definidos os diferentes tipos de câncer.

A doença pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas na pele. Assim, conhecer bem a estrutura da sua pele e saber em quais regiões existem pintas, faz toda a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade.

Sintomas do câncer de pele

Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente. Uma pinta preta ou castanha, que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho.

Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer e apresenta coceira, crostas, erosões ou sangramento. Esses são os principais sinais que indicam um possível tumor maligno na pele.

Tipos de câncer de pele

Melanoma

É o menos frequente, porém, aquele com pior prognóstico e maior índice de mortalidade. Embora o diagnóstico de melanoma normalmente traga medo e apreensão aos pacientes, as chances de cura estão acima de 90%, quando há o diagnóstico precoce da doença.

Geralmente, o melanoma tem a aparência de uma pinta ou de um sinal na pele em tons acastanhados ou enegrecidos. No entanto, a “pinta” ou o “sinal”, em geral, mudam de cor, de formato ou de tamanho, e podem causar sangramento. Por isso, é importante observar a própria pele constantemente, além de procurar imediatamente um dermatologista, caso detecte qualquer lesão suspeita.

Carcinoma basocelular (CBC)

É o mais comum dentre todos os cânceres de pele. Ele surge na camada mais profunda da parte superior da pele. Tem baixa letalidade e pode ser curado em caso de detecção precoce. Os CBCs surgem mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas.

Podem se desenvolver também nas áreas não expostas, ainda que mais raramente. Em alguns casos, além da exposição ao sol, há outros fatores que desencadeiam seu surgimento. Certas manifestações do CBC podem se assemelhar a lesões não cancerígenas, como eczema ou psoríase. Somente um médico especializado pode diagnosticar e prescrever a opção de tratamento mais indicada.

Carcinoma espinocelular (CEC)

É o segundo tipo mais comum dessa doença. Manifesta-se nas células escamosas, que constituem a maior parte das camadas superiores da pele. Pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc. A pele, nas regiões atingidas,  apresenta sinais de dano solar, como enrugamento, mudanças na pigmentação e perda de elasticidade. O CEC é duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres.

Alguns casos de câncer de pele do tipo CEC estão associados a feridas crônicas e cicatrizes na pele, uso de drogas para evitar a rejeição de órgãos transplantados e exposição a certos agentes químicos ou à radiação.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião oncológico no Rio de Janeiro!

 

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.