sarcoma

Você sabe o que é sarcoma?

Um câncer surge a partir de uma única célula que perdeu a capacidade de determinar sua taxa de crescimento e tempo de vida, devido a alterações no DNA contido dentro dela. Como consequência, ela cresce de forma descontrolada e se multiplica formando um nódulo ou massa.

Os tumores malignos podem desenvolver a capacidade de invadir outros locais do corpo, viajando através dos canais linfáticos ou dos vasos sanguíneos. Quando isso acontece, chamamos de metástase.

Os sarcomas são cânceres raros com alta probabilidade de metástase, que ocorrem nos tecidos conjuntivos, tais como músculos, nervos, gordura, vasos sanguíneos, tecido fibroso e articulações ou nos elementos do tecido duro, como osso e cartilagem.

Neste artigo, separamos algumas informações importantes sobre os sarcomas para que você conheça mais sobre a doença.

O que é o sarcoma?

Sarcoma é um termo geral que engloba tipos diferentes de cânceres malignos. Em geral, eles são agrupados por tecidos (ou partes) moles e sarcomas ósseos.

Sarcomas das partes moles

Dentro desse grupo, o sarcoma de tecidos moles inclui:

  • Lipossarcoma (tumor maligno da camada de gordura);
  • Leiomiossarcoma (tumor maligno do músculo liso);
  • Rabdomiossarcoma (tumor maligno de células musculares estriadas);
  • Fibrossarcoma (tumor maligno de tecido fibroso);
  • Sarcoma sinovial (tumor maligno do tecido sinovial);
  • Angiossarcoma (tumor maligno dos vasos sanguíneos).

Os sarcomas são classificados em grau baixo, intermediário e alto, dependendo de certas características patológicas. Quanto maior o grau, maiores são as chances do tumor retornar após o tratamento e de se disseminar para regiões distantes.

Sarcomas de tecidos moles são extremamente raros, com média de 3.300 novos casos diagnosticados a cada ano. Isso representa apenas 1% de todos os diagnósticos de câncer.

Eles podem ocorrer em qualquer parte do corpo, mas são mais comumente encontrados nos membros inferiores, superiores e tronco. Ainda, podem ser localizados na parte de trás do abdômen (sarcoma retroperitoneal), órgãos reprodutivos femininos (sarcoma ginecológico) e no trato gastrointestinal (tumor estromal gastrointestinal).

Essas doenças podem afetar todas as faixas etárias, embora representem uma quantidade mais substancial dos diagnósticos de câncer em crianças de até 14 anos (15%) e 6 de cada 10 pacientes com sarcoma em pessoas com mais de 50 anos.

Sarcomas ósseos

O segundo grupo de sarcoma mais comum é o ósseo ou câncer ósseo. Existem três tipos:

  • Osteossarcoma;
  • Sarcoma de Ewing;
  • Condrossarcoma.

Os sarcomas ósseos são muito raros, com incidência ligeiramente maior em homens do que em mulheres e mais fáceis de serem diagnosticados em crianças.

Por ser um tipo de doença rara (e extremamente grave), um especialista em câncer ósseo, como um oncologista pediátrico ou um oncologista ortopédico, deve ser consultado para o tratamento da doença.

Há sobrevida ao sarcoma?

As pessoas podem sobreviver ao sarcoma se o câncer for detectado precocemente e antes que qualquer disseminação distante ocorra — momento em que os tratamentos são mais eficazes.

Por essa razão, é essencial que os pacientes com suspeita de sarcoma sejam encaminhados a um centro especializado o mais cedo possível.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião oncológico no Rio de Janeiro!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.

Hérnias da Parede Abdominal

Ocorrem devido às malformações ou fragilidade adquiridas durante a vida. Neste local, por aumento da pressão intra-abdominal, o conteúdo peritoneal se projeta para o exterior, causando a hérnia. Geralmente, as hérnias são móveis, podendo ser reduzidas. Em algumas situações tornam-se presas (encarceradas), podendo inclusive sofrer isquemia (estranguladas).

Cálculos da Vesícula Biliar

A litíase das vias biliares, também conhecida como "pedra na vesícula", atinge de 10 a 20% da população. Por um desequilíbrio bioquímico na bile - que fica armazenada e concentrada na vesícula biliar - cálculos de tamanhos variados podem se formar. Esses podem ser assintomáticos, causar dores de intensidade variada e complicações mais sérias - como colecistite, colangite e pancreatite.